13 de mai de 2013

Perdidos no Espaço da TV: Once Upon Time - final de temporada

Posted by Aline Guevara On 23:44 0 comentários



Depois de uma temporada cheia de altos e baixos (e diga-se de passagem, baixos cada vez mais profundos), Once Upon a Time termina com algumas surpresas positivas e interessantes ganchos para o terceiro ano da série dos contos de fadas.

(Spoilers do final da temporada)

Foi difícil acompanhar a segunda temporada de Once Upon a Time. No término da temporada anterior nós sabíamos que as coisas iriam mudar na série. Afinal, os personagens haviam recuperado a memória, a magia havia chegado ao nosso mundo e Emma finalmente havia compreendido a verdade sobre Storybrooke e seus pais. Mas não dava para imaginar que a série iria se perder nas várias possibilidades de tramas que tinha tecendo histórias cada vez mais desinteressantes e contraditórias.

Primeiro, a série se ateve a construir aqueles que pareciam ser os vilões da temporada, dois bem elaborados e carismáticos personagens: Cora e Capitão Gancho. Algumas tramas funcionavam, como o desenvolvimento dos relacionamentos entre Branca de Neve e Emma na Floresta Encantada, e Príncipe Encantado e Henry no mundo real. Outras histórias simplesmente não desciam, como o aprofundamento do passado da Chapeuzinho Vermelho, o reaparecimento aleatório do Rei George (que foi totalmente deixado de lado logo em seguida...), Mulan e Aurora, a dupla dinâmica só que não.

Na segunda metade da temporada as coisas se enrolaram de vez. O foco agora era nas artimanhas de Cora e Regina, só para a morte da primeira servir para causar ainda mais drama a já dramática Branca de Neve e seu relacionamento cheio de firulas com o Príncipe. E, do nada, quase no fim da temporada saem os dois novos vilões, muito menos carismáticos que os anteriores: Greg e Tamara.

O desenvolvimento de Regina, uma das melhores personagens de Once Upon a Time, foi absurdo. No início, ela buscava redenção por causa de Henry, depois numa reviravolta sem sentido, aceita ser submissa aos desejos da mãe que sempre lhe fez mal e se volta para o lado negro da força. Após a morte de Cora, ela parece regressar a personalidade que tinha na primeira temporada só para neste último episódio ter uma atitude de mártir e se transformar em uma "heroína", pelas palavras do filho adotivo. Qual é o sentido em tudo isso. Se nem eu, vendo de fora, estou entendo as atitudes da Rainha, eu imagino a confusão da própria personagem.

Rumples e Cora jovem em The Miller's Daughter
Mas nem tudo foram farpas, afinal tivemos alguns ótimos episódios que fizeram lembrar a tão distante primeira temporada, como Lady of the Lake, The Crocodile, Queen of Hearts, Manhattan e The Miller's Daughter. A entrada tão esperada do filho de Rumplestiltskin, Baelfire, também conhecido por Neal-antigo-namorado-da-Emma-e-pai-do-Henry, foi muito boa.

O final da temporada também trouxe situações bacanas, como a revelação do passado de Bae na Terra do Nunca e a sugestão de um Peter Pan nada bonzinho. A simples menção dele deixa o Gancho bem apreensivo. E agora sabemos que ele está atrás de Henry. Diante do sequestro do menino para a terra dos garotos perdidos (neste caso, chamados só de "perdidos"), temos Emma, Branca de Neve, Príncipe Encantado, Gancho e Rumples indo atrás para resgatá-lo. Parece interessante explorar mais essa bizarra Terra do Nunca. E ainda temos Neal na Floresta Encantada. Acho que Storybrooke será deixada um pouco de lado em parte da ter ceira temporada.

É interessante ver que mais uma vez Bela foi separada de Rumples na história. Provavelmente porque por mais bonito que seja o romance dos dois, o Senhor das Trevas é bem mais divertido e complexo longe da garota.

Veremos o que a próxima temporada reserva para Once Upon a Time. Só espero que seja melhor do que esta.

PS: É muito frustrante a facilidade que os personagens têm de acabar com as maiores ameaças. É só juntar as forças mágicas e pronto, estamos todos salvos.

0 comentários:

Postar um comentário