23 de mai de 2013

Era uma vez: A noz de ouro

Posted by Thaís Colacino On 23:48 0 comentários

O livro de estreia de Catherine Cooper ganhou merecidos prêmios. A noz de ouro é uma fantasia infanto-juvenil com elementos de mitologias diversas, bem construída e envolvente, ainda que um tanto acelerada e previsível.

Jack Brenin é um garoto enviado para a Inglaterra para morar com seu avô após o falecimento da mãe. Ele não se sente à vontade e nem parecem gostar dele na pequena cidade de Glasruhen. Mas ele é esperado com anseio por alguns moradores: Nora e Camelin, que depositam no garoto a última chance para salvar a floresta e sua hamadríade, a única restante. Para isso ele, o Eleito, precisa voltar ao passado em uma perigosa missão, que pode custar a vida de seus novos amigos.

A narrativa é ágil, às vezes até demais. Como a história do livro passa-se em um mês, alguns fatos são expostos rapidamente e não há muito tempo para desenvolver os personagens a ponto de amá-los, fora Jack e Camelin. Não que não sejam importantes nem apareçam menos, mas a missão principal é tão antecipada que o livro todo gira em torno disso.

A relação de Jack com o avô, com o pai e os motivos deste o enviar à Inglaterra não são claros nem trabalhados. Talvez seja uma decisão da autora, criando um mundo fantástico que distraísse a criança, Jack, do mundo real e triste em que estava inserido, como um paralelo à situação de inúmeras crianças que fazem isso, mas não são de fato Eleitas para algo, fora da própria imaginação.

Cooper cria elementos interessantes, aproveitando-se bem da magia e lendas de diversos países e expondo bem a cultura céltica, com druidas e a terra de Annwn.

Com alguns conflitos um tanto previsíveis e muitos novos personagens sendo adicionados à trama, não é difícil imaginar o começo de uma nova série. Apesar dos leves defeitos, é encantadora, envolvente e recomendada para todas as idades.

0 comentários:

Postar um comentário