17 de nov de 2012

Crítica: Amanhecer - Parte 2

Posted by Thaís Colacino On 18:43 2 comentários

- Eu te amo. (Plateia: "Ouuun")
- Ninguém te ama como eu. (Plateia: "Ouuun")



A "saga" Crepúsculo chegou ao fim. Em Amanhecer - Parte 2, o filme com os vampiros que brilham e amam mais que tudo finalmente introduz cenas de ação e luta empolgantes e deixa um pouco de lado o romantismo  exacerbado e inverossímil dos longas anteriores. Adiantando, é o melhor da série, mas não necessariamente é bom.

Nessa segunda parte, a transformação de Bella está concluída. Agora como vampira, casada e com filha, está completa. Ela começa a se adaptar a nova vida, caçando animaizinhos, tentando controlar a sede e cuidando da filha que cresce rapidamente e é vigiada de perto por um lobo apaixonado que agora parece um cachorro domesticado. A ameaça fica por conta dos Volturi, que descobrem a existência da criança e acreditam que ela foi transformada, algo que é contra a lei dos vampiros e, portanto, pode servir de desculpa para acabar com os Cullen.


Aro (Michael Sheen) trollando na atuação
O filme é cheio de extremos: possui alguns "defeitos especiais", como quando Bella está correndo feliz pela floresta vendo tudo que a natureza oferece, junto com outros efeitos bem melhores, como os poderes dos vampiros. Atuações idem: a atuação de Aro (Michael Sheen) é de longe a melhor justamente por ele estar se divertindo no papel e sendo mais uma vez excêntrico, enquanto Bella (Kristen Stewart) até chega a atuar mais agora que tem liberdade para não só ficar mordendo os lábios, mas ainda assim isso não significa muita coisa.



As vampiras brasileiras Senna e Zafrina
Amanhecer - Parte 2, ao concluir o romance de Bella e Edward e introduzir uma ameaça grande, faz com que muitos vampiros do mundo todo sejam apresentados, o que é o responsável por fazer o filme interessante. O destaque óbvio é Garrett (Lee Pace, Pushing Daisies), que já lutou em todas as guerras americanas. O problema são os esteriótipos das nacionalidades: aparentemente no Brasil só há índios e quando podem mostrar algo com o poder, mostram uma floresta e macacos.





Ah sim, alguns vampiros têm poderes, assim como Edward pode ler mentes e Alice ver o futuro, mas o dom de alguns é absurdamente fantástico, como Benjamin, que cria e controla os quatro elementos - sendo capaz até de ficar com fogo nos dedos, algo que deveria ser ruim para ele.

E Bella consegue um pouco de redenção depois de passar quatro filmes sendo somente a pessoa protegida e insossa. Ela mostra-se forte (inclusive, a mais forte, já que é recém-nascida), querendo proteger a família. E é justamente esse o poder dela, de proteger e não atacar. Apesar disso ela também dá uns socos e arranca algumas cabeças.

Preparados para a batalha

Amanhecer - Parte 2, apesar de concluído, deixa brechas para continuações ou para mais um filme exclusivo de ação (que poderia ser dirigido por Michael Bay ou Bryan Singer, dos X-Men) e com certeza irá surpreender o público, que depois irá se sentir traído com o final. 

2 comentários:

eu pois eu digo fiquei com o gostinho de quero mais

Para mim ficou a cara dos X-Men, rsrs.
X-Vampires!!!

Postar um comentário