14 de set de 2012

Head Shot: Battlestar Galactica Board Game

Posted by Thaís Colacino On 14:44 1 comentários


Battlestar Galactica Board Game é um jogo de tabuleiro inspirado na famosa série de tv (e filme), cuja primeira versão foi lançada em 1978 e a segunda em 2003. O jogador tem diversas opções de personagens, cada um com sua função, além de ter que resolver crises a cada rodada e ainda ter que lidar com os cylons. Fora isso, há sempre um ou mais jogadores que são cylons infiltrados, o que garante boas reviravoltas.

 No começo do jogo todos pegam cartas de lealdade, o que significa que alguns serão os cylons, que para quem não lembra ou não sabe, são humanóides que, às vezes, também não sabiam que eram cylons. A maioria da raça deles se rebelou contra os humanos e quer destruir as doze colônias antes que eles alcancem Cobol. O problema é que os cylons não precisam jogar revelando o que são, o que aumenta a tensão durante as crises. E na metade do jogo, todos ganham mais cartas de lealdade, o que leva a alguns humanos tornarem-se cylons...



A cada turno, o jogador da vez vira uma carta de crise que pode ser falta de comida, combustível ou mesmo naves atacando. Os jogadores precisam se unir para ver se passam pela dificuldade imposta na carta, com consequências caso não o façam. E sempre com naves de ataque à espreita.


Cada personagem tem um defeito e uma habilidade que podem ser utilizados durante o jogo, e as crises são superadas com cartas de habilidades: há cinco habilidades e ninguém possui todas, o que leva o jogo a ser cooperativo para vencer as adversidades. Os cylons votam para que os humanos percam e jogadores mais experientes que sabem que podem trocar de lado no meio do jogo também não apostam tudo na vitória dos humanos.

Há quatro itens essenciais para os humanos: moral, comida, combustível e população. Se algum deles chegar a zero, os humanos morrem. Há também os ataques à nave e as consequências das crises (ou das super crises dos cylons) que destroem os itens, além de danificar a nave e os raptors. Os cylons podem atacar invariavelmente da nave deles, mas quando revelados, podem atrapalhar menos nas decisões. Também há a possibilidade de infiltrarem um cylon na nave, que mata todos a bordo. O objetivo do jogo para os humanos, além da sobrevivência, é chegarem à Cobol, planeta habitável.

Há expansões para o jogo, como a nave Pegasus e outra com expansão dos cylons, que podem ter outros objetivos, como ganhar junto com os humanos. O problema é que jogam revelados, e ninguém confia neles.


No jogo, assim como na série, qualquer um pode ser o inimigo. Para quem gosta de um bom jogo de estratégia, sobrevivência e política e sabe blefar, é uma ótima pedida.

1 comentários:

Postar um comentário