24 de ago de 2012

VS The World: Scott Pilgrim vs the World

Posted by Bueno Neto On 23:08 0 comentários



"Se sua vida tivesse um rosto eu daria um soco" - Kim Pine: ex-namorada de Scott.

Pode parecer forte até demais a opinião de Kim nessa citação sobre Scott Pilgrim, mas se você vier a conhecê-lo talvez concorde com ela. Não que ele seja um mal caráter, longe disso, mas Scott tem a habilidade de tomar as decisões mais absurdas, principalmente quando se referem a Ramona Flowers, mesmo que para isso signifique que ele precise vencer a liga dos sete ex-namorados malignos de Ramona.


Absurdos de amor com muita luta e ação em ritmo de vídeo games 16 bits dos anos 80 é oque define Scott Pilgrim vs the world, lançado em 2004 publicado pelo Portland, Oregon. A Editora Companhia das Letras publicou no Brasil em março de 2010 como Scott Pilgrim contra o mundo.

Na trama seguimos Scott em sua vida: ele é um canadense de 23 anos que tinha uma vida quase perfeita, tinha uma namorada lega,l Knives Chau, de 16 anos e era zuado pelos amigos por isso, era membro de uma banda (que toca muito mal) e não tinha que pagar muitas contas, pois seu amigo homosexual Wallace Wells acabava pagando tudo. Porém a vida de Scott se complica quando ele tem um sonho com Ramona e, quando se encontra com ela, descobre que seus sonhos com a misteriosa garota eram apenas o dia-a-dia dela. É que ela trabalha fazendo entregas na Amazon e usa as Rodovias Subespaciais para fazer as entregas, e uma dessas rotas passa pelos sonhos de Scott.


Scott se apaixona e enquanto tenta conquistar Ramona, ele tenta terminar com Knives, que surta e volta sua raiva para Ramona. Esse nem é seu maior desafio para ficar com a garota, Scott tem que vencer um por um os ex-namorados da garota, a já citada liga, e cada ex tem seu próprio poder e técnica, incluindo uma ex dos tempos de experiências de Ramona.


Scott se mostra um incrível lutador valendo-se muitas vezes de sua inteligência ou pouca inteligência dos adversários e "poderes" vindos dos jogos de vídeo games dos anos 80, mais usados como meta linguagem do que poderes plenamente explicados. Contém também momentos puro non sense que só faz sentido nos games antigos, como inimigos virarem moedas depois de vencidos (que Scott usa para pagar o metrô).

O resultado é uma HQ divertida com personagens carismáticos e momentos de pura falta de noção, que já virou filme e é homenageado aqui na Quentin como nome da seção de HQ.




0 comentários:

Postar um comentário