11 de jun de 2012

Perdidos no Espaço da TV: Revenge - Final de Temporada

Posted by Thaís Colacino On 14:55 0 comentários

Revenge é uma novela mexicana americanizada, e não digo isso de modo perjorativo. A começar pelo nome da série, que muito lembra o mantra de Soraya de Maria do Bairro, o decorrer e principalmente o final da temporada incluiram elementos que deveriam ser de reviravolta, mas servem mais para criar uma continuação interessante. Aguardamos o primeiro episódio com certa ansiedade, já que não é sempre que vemos um embate entre protagonista e vilã tão equilibrado, tanto em jogos uma sobre a outra, ou sobre a preferência dos fãs.

(Spoilers abaixo) 

Amanda Clarke/Emily Thorne destruiu várias pessoas ao longo da temporada: conseguiu arruinar o casamento dos Grayson, ficou noiva do primogênito deles, que foi acusado de assassinato, indiretamente levou à tona que tem uma meia irmã, Charlotte, o que a levou a ser viciada em pílulas, destruiu um político, um escritor, uma socialite, uma psicóloga, um segurança que acabou morto e um aproveitador que também teve um fim trágico.

A vingança minuciosamente calculada ao longo de dez anos teve vários problemas, principalmente com a verdadeira Emily na cidade, mas Amanda/Emily conseguiu, com ajuda do misterioso Takeda, contornar as situações, mesmo que isso tenha levado à morte de Tyler, incriminamento de Daniel e possível envolvimento de Jack, além de destruir o relacionamento de Declan e Charlotte.

Eis a beleza da série: desde o começo, com a frase de Confucio, mostra que as ações vingativas levaram não somente o vingado, mas também o vingador (e os que estão ao redor) para a "cova". Mostra também quais são os resultados das ações dos personagens, tornando-os tridimensionais.

Com a aproximação do fim, Amanda/Emily descobre que os Grayson, ou melhor, o patriarca Grayson, encomendou o assassinato de David Clarke, levando-a a uma busca desenfreada pelo autor do crime, mas deparando-se com algo muito maior que somente um assassino, mas um membro de alguma organização terrorista, com recursos e inteligência suficientes para descobrir a moradia de Nolan após um deslize e sequestrá-lo.

"Não sou digno"
É também perto do fim da temporada que descobrimos o porquê de Nolan ser tão capacho de Emily/Amanda: ele também quer vingança, não somente porque o pai de Amanda o tornou rico, mas por motivos bem pessoais, além de, claro, ela ser a única amiga dele. Ele também tem plena consciência (ou justamente por ter uma) que não conseguiria dar cabo da vingança: quando Nolan e Emily/Amanda estão presos pelo homem de cabelo branco (o que matou David Clarke) e ela, assumindo que isso aconteceria e tirando um alfinete da blusa para abrir as algemas, Nolan ri e diz que não é digno. Já Emily/Amanda, mesmo reconsiderando várias atitudes, acaba se inflamando (ainda que nunca demonstre) e voltando ao plano original, não importando (muito) quem machuque. Isso se altera principalmente quando a lembrança do pai está envolvida e, em vez de matar aquele que o matou, ela o deixa vivo,  e por essa decisão, praticamente toda a vingança planejada cai por terra.

 
Voo para morte?

Um interessante episódio é o que mostra o passado de Emily/Amanda, mesmo após descobrir Nolan, continua gastando a fortuna que tem à toa, até ser convencida a ler os diários do pai e descobrir a verdade. Ao se infiltrar na mansão, acaba por testemunhar a crueldade e instinto de sobrevivência dos Grayson, que matam um convidado, simulando suicídio, para não serem expostos.





Com a evolução dos personagens, vemos que Charlotte torna-se a cada dia uma versão em miniatura da mãe: machucada por aqueles que ama, assumindo traições inexistentes, cada vez mais sozinha e pronta a bater (não literalmente) em quem está em seu caminho. E o pior: a mãe, Victoria, orgulhosa de quem ela é, não desencoraja a filha. Quando esta pergunta o que fazer quando se fez mal a alguém que não merecia, vemos a distorcida moral de Victoria: esqueça e siga em frente. Não peça desculpas, isso a torna fraca. Infelizmente, essa moral parece refletir bem os tempos de hoje.


Provável casal chato da próxima temporada
Com Daniel provando que não se importa com a vida das pessoas, mas sim com a própria família e com a firma desta, Emily desfaz o noivado. Ainda mais após beijar Jack e ter em mãos os documentos que provam o envolvimento dos Grayson com o ato terrorista, além de ter colocado Victoria como testemunha chave. Claro que Victoria joga isso na cara de Emily/Amanda, mostrando que o presente de noivado era inexistente, como o futuro dos dois. E palmas para a atriz Amily VanCamp (Amanda/Emily), por mostrar, somente com o olhar, todo o ódio que sentiu e que aquilo vai ter volta, mesmo achando que o trabalho ali terminou e dando sinais de que iria embora (todos os móveis cobertos).

Jack será papai. Será?
Por fim, Ashley, a relações públicas e escaladora social dos Grayson dá um cima de um Daniel pronto para se alcoolizar; o homem de cabelo branco explode o avião com Lydia e Victoria e todas as provas que culpavam os Grayson; Charlotte, ao ver tal notícia, tem overdose; Emily/Amanda, ao ir se declarar para Jack, encontra a verdadeira Emily, grávida, e vê todo o seu longo trabalho ir literalmente pelos ares. Tudo ao som da música mais bela de vingança, que também embalou os teasers de Game of Thrones: Seven Devils, de Florence + the Machine (confira abaixo). Mas ao final, Nolan diz ter uma cópia e uma informação importante: a mãe de Emily/Amanda pode estar viva. E Victoria, teria se safado? Provavelmente sim, já que sem um contraponto à altura, Emily/Amanda já teria devastado seus inimigos.


0 comentários:

Postar um comentário