14 de mai de 2012

Perdidos no Espaço da TV: Once Upon a Time - final de temporada

Posted by Aline Guevara On 20:48 0 comentários


É difícil não se encantar por Once Upon a Time. E o final da primeira temporada foi perfeito àquilo que a série se propôs ao longo dos episódios: emocionante, cheio de surpresas, de magias e com reviravoltas impressionantes. O tipo de episódio que você assiste grudada na tela, sofre, torce, se angustia, se alegra e se deprime porque os 43 minutos de história simplesmente passaram muito rápido. E fica muito contente por saber que setembro está logo aí. Obrigada ABC por ter renovado essa série incrível!

(Spoilers do episódio final)

Emma (Jennifer Morrison) finalmente se permite acreditar nos contos de fada, afinal é a única saída para salvar Henry (Jared Gilmore), em coma depois de comer a torta de maçã envenenada de Regina (Lana Parrilla, em excelente interpretação como sempre). A própria mãe adotiva do menino fica destruída ao descobrir que seu plano atingiu Henry e não Emma, pois se nos contos de fadas, o veneno provoca somente um coma, no mundo real pode ter consequências mais desastrosas e mortais. As duas então mais uma vez se unem para salvar o garoto.

É com essa premissa que o season finale da série se inicia. E temos um pouco de tudo o que foi deixado pendente na temporada: a bruxa Malévola (Kristin Bauer, a Pam de True Blood), a "doença" de August (Eion Bailey), Bela (Emilie de Ravin) no mundo real trancafiada por Regina e Jefferson "Chapeleiro Louco" (Sebastian Stan). Com direito até mesmo a uma participação especial do saudoso xerife Graham/Caçador (Jamie Dornan) para acalentar alguns corações despedaçados. Cada um importante para os eventos que marcam a história que fecha o primeiro ciclo de Once Upon a Time.

Ao longo da temporada a série apresentou sua própria e interessante versão dos contos de fada, como a Cinderela (Jessy Schram) que não teve um final tão feliz, a chocante conclusão da narrativa de Chapeuzinho Vermelho (Meghan Ory), as tristes histórias do Grilo Falante (Raphael Sbarge), de João e Maria (Quinn Lord e Karley Scott Collins), do anão Zangado (Lee Arenberg) e do Chapeleiro Louco. E claro, a tocante trama que envolve o caçador da Branca de Neve (Ginnifer Goodwin), seja antes ou depois da maldição.

A história dos personagens principais também continua sendo contada a partir de flashbacks ao longo dos episódios, entre as outras histórias. Infelizmente, acabam representando o único ponto baixo da série. Se a princípio a trama dos apaixonados Branca de Neve e seu Príncipe (Josh Dallas) é irresistivelmente encantadora, ela vai se tornando cada vez mais sem graça até resultar no chatíssimo "Heart of Darkness", episódio mais tedioso da temporada. Que bom que conseguiram consertar a história romântica dos dois no final. Por outro lado, as histórias que envolvem o passado de Rumpelstiltskin (Robert Carlyle) e da Rainha Má são ótimas.


Enquanto que as histórias do mundo dos contos de fadas acaba sendo de uma forma ou de outra muito instigante, os roteiristas têm o desafio de tornar a trama no mundo real interessante também. E mesmo sem a magia ou a fantasia do outro mundo, eles conseguem. Primeiro com a apresentação dos personagens em sua forma "real", enquanto nos instiga a descobrir a identidade daqueles não revelados. Depois com a história do xerife Graham, a chegada do misterioso August, a investigação do desaparecimento de Kathryn (Anastasia Griffith), os embates entre o Sr. Gold/Rumpelstiltskin, Regina/Rainha Má e Emma, e, claro, as tentativas de fazer a filha cética de Branca de Neve acreditar no mundo dos contos de fadas.

Mas agora a história é outra. Emma sabe. Todos sabem a verdade. E o mundo sem magia está prestes a se tornar assolado por ela. Será que de alguma forma isso vai ser bom para os herois da história? O sorrisinho final de Regina não parece indicar isso.

Que venha mais uma temporada de Once Upon a Time, com mais histórias de contos de fadas, mais desses personagens que aprendemos a adorar e muito mais magia.


0 comentários:

Postar um comentário