1 de mai de 2012

Das Prateleiras: O Jardim Secreto

Posted by Janaína do Amaral On 15:11 0 comentários


Muitos podem dizer que O Jardim Secreto é um filme para crianças, mas para outros é um drama complexo. O que garante a história interpretações tão dúbias são as diversas facetas, os elemento dramáticos disfarçados numa trama muito simples.  O Jardim Secreto tem uma trama inesperadamente profunda, é uma película tocante.

Mary Lennox é a personagem principal, a garota vivia na Índia com os pais boêmios e relapsos. Após um terremoto, ela fica órfã e precisa ir morar na Inglaterra com um tio distante. Mesmo vivendo sob o mesmo teto, ela continua sem conhecer pessoalmente o tio, sendo assim fica aos cuidados da mal humorada governanta, interpretada pela fenomenal Maggie Smith.

A garota começa a se aventurar pela imensa propriedade em que vive e acaba tendo grandes surpresas.  Mary descobre a existência de um primo, um menino doente e super mimado, que vive no quarto escuro longe de tudo e de todos. De tão paparicado e frágil o garoto não aprendeu a andar. A menina precisa então aprender a lidar com o primo e, com a ajuda dele e de mais um amigo da criadagem, descobrir as surpresas do segundo achado, que é o próprio Jardim Secreto, tão importante que pode ser considerado um dos personagens principais.

O jardim representa um ponto de equilíbrio, numa vida repleta de sofrimento para essas crianças, e uma válvula de escape para a angústia. Retratando um mundo ideal, o jardim secreto tem uma beleza misteriosa, de emocionar, além de mostrar o poder por trás dos mistérios.

Um dos motivos para a história ser tão intrigante é o fato dos personagens se tratarem de crianças incomuns. Eles têm características muito adultas. Infelizes, traumatizados, apáticos e, digamos, até maduros para lidar com as situações que surgem. Ainda assim, não deixam de ser crianças mimadas, em busca de novas aventuras. Esses elementos garantem a curiosidade do espectador.

Colin, o primo de Mary, é um personagem ímpar. Como dito anteriormente, é doente e fraco, mas consegue ter a maior autoridade na mansão e é ao mesmo tempo muito frágil. A vinda da prima o transforma quando se juntam para descobrir e explorar o jardim secreto.

Os elementos técnicos do filme também merecem destaque. As paisagens exóticas da Índia, no início do filme, assim com as paisagens florais e dos campos contam com uma fotografia impecável, assim como o figurino e a trilha sonora.

Baseado na obra de Frances H. Burnett, o filme, de 1993, conta com a direção de Agnieszka Holland e Francis Ford Coppola como produtor executivo. O elenco também tem grande peso para a qualidade do filme. A garotinha Kate Maberly recebeu o prêmio da London Critics Circle Film e Maggie Smith recebeu uma indicação ao BAFTA, como melhor atriz coadjuvante pela atuação em O Jardim Secreto.

A mistura do universo infantil com dilemas complexos é que garante ao filme um aspecto mais realista, tornando-se um drama agradável com coisas boas para ver, ouvir e pensar. Um filme com sabor de infância, um clássico da Sessão da Tarde, mas para aqueles que ainda não viram, ou têm saudades, aproveitem, pois a beleza d’O Jardim Secreto para não diminui com o passar dos anos.


0 comentários:

Postar um comentário