5 de abr de 2012

Era uma vez: Em Chamas

Posted by Aline Guevara On 22:48 0 comentários


Depois da explosiva trama de Jogos Vorazes (leia a resenha do livro aqui) ficou difícil de imaginar que Suzanne Collins fosse conseguir manter seu leitor tão fascinado nos outros dois títulos que fecham a trama. Afinal, a adrenalina da competição já havia chegado ao fim. Ou será que não? Na verdade, Em Chamas consegue ser ainda melhor do que o primeiro da série.

Em Chamas nos traz uma realidade que pouco foi mostrada em Jogos Vorazes e explica várias de nossas dúvidas em relação ao mundo de Katniss: a vida nos outros distritos, o porquê de ser tão difícil se rebelar contra a Capital e também o que acontece com os vencedores dos jogos.

Os jogos de Katniss e Peeta terminaram e no Distrito 12 ambos dão adeus à vida simples que levavam para se tornarem moradores ricos e ilustres no local, tomando a posição de únicos vencedores vivos do distrito nos jogos ao lado do mentor Haymitch. Mas nem tudo são flores agora, afinal a vida de um sobrevivente ao massacre não é tranqüila. Como a protagonista mesmo nos esclarece, todos têm sua compulsão: ela caça, Peeta cozinha e Haymitch bebe. Tudo para esquecer o que vivenciaram dentro da arena.

Mas o “casal desafortunado” não terá a paz que Katniss tanto desejava. A cena das amoras que salvou sua vida e a de Peeta repercute por todo lado, como a garota descobrirá de uma forma ameaçadora pelo Presidente Snow, grande idealizador dos jogos. Parte do público está ávido por continuar acompanhando o romance e a outra parte percebe que tudo não passou de um embuste e percebe que a Capital pode ser ludibriada, abrindo espaço para ações efetivas contra o poder opressor.


Suzanne Collins consegue mais uma vez prender o leitor no livro de forma intensa. Da metade para o final do volume, é muito difícil largar a leitura. O romance, seguindo o anterior, tem uma linguagem fácil e leve apesar da crítica social contra a sociedade do espetáculo e da alienação se tornar cada vez mais crescente.

A história é rica, mas às vezes, por ficarmos presos a narração de Katniss perde-se a oportunidade de conhecer melhor outros personagens interessantes. Mas é bom ver que apesar do artifício literário, a autora não deixou de lado o amargo e misterioso Haymitch e decide contar um pouco mais de sua história e de seu passado nos Jogos Vorazes. É interessante ver como o evento vai afetando cada um dos vencedores da competição.

E falando neles, os vencedores anteriores vão ganhar destaque nesse livro e conheceremos algumas figuras marcantes como Finnick, Johanna, Maggs e Beetee. A ideia de revolução vai crescendo lentamente e ganhando força e especulações sobre o que realmente ocorreu com o Distrito 13 também.

Em Chamas cumpre seu papel de deixar o leitor completamente envolvido e ansioso para o próximo e último volume da saga de Katniss, A Esperança.

0 comentários:

Postar um comentário