21 de mar de 2012

Radio Gaga: Avantasia

Posted by Aline Guevara On 23:20 0 comentários

A lenda de Rei Arthur, História Sem Fim, música clássica e muito heavy metal. Consegue imaginar o que sai dessa mistura? O cantor e compositor Tobias Sammet, vocalista do grupo alemão de heavy metal Enguy, conseguiu enxergar através de tudo isso e criar o Avantasia.

Avantasia não é uma banda, mas sim um projeto musical encabeçado por Sammet que une justamente os quatro itens citados. O nome do projeto é justamente a união das palavras Avalon, local mítico das histórias do Rei Arthur, e Fantasia, o mundo fantástico do livro História Sem Fim. Criado em 2001, além do fantástico Sammet, pelo projeto já passaram grandes estrelas do rock, como Klaus Meine (Scorpions), Michael Kiske (ex-Helloween), Jorn Lande (Masterplan), Sharon den Adel (With Temptation), o brasileiro Andre Matos (ex-Shaman), Kai Hensen (ex-Halloween), Eric Singer (Kiss), Alice Cooper, Amanda Somerville (Epica), Eric Singer (Black Sabbath), Rudolf Schenker (Scorpions) entre muitos outros.


As músicas dos dois primeiros álbuns narram episódios da história de Gabriel Laymenn (Sammet), um noviço da Ordem Dominicana no início do século XVII. Junto com sua Ordem, ele participa de uma caça às bruxas, quando se depara com a meia-irmã, Anna (Adel), à espera do julgamento, acusada de bruxaria. Confuso e à procura de respostas, o protagonista se esgueira até a biblioteca da abadia para ler um livro proibido. Descoberto pelo mentor, ele é trancafiado em um calabouço e é lá que se encontra com o druida Lugaid Vandroiy (Kiske).

O druida então faz um acordo com Gabriel: se conseguir salvar o mundo de Avantasia, ele libertará Anna. É a deixa para a introdução do primeiro álbum, The Metal Opera (2001), com a música Reach Out For The Light.



O segundo álbum, The Metal Opera Part II (2002) continua a história do primeiro, a jornada de Gabriel. Com a mesma qualidade do anterior, abusa dos agudos potentes de Sammet e dos estonteantes riffs das guitarras de Henjo Ricther, Jens Ludwig e Norman Meiritz, como na música The Final Sacrifice.



Os fãs estranharam o terceiro álbum do Avantasia, The Scarecrow, que trouxe o pop para suas músicas. O disco não é uma continuação dos dois anteriores, mas começa uma nova história. Dessa vez acompanha, no século XIX, um jovem e genial compositor que foi rejeitado pelo amor de sua vida e experimenta a glória e a sucessiva queda da vida artística, se afundando na solidão, na loucura e se afastando de todos. Exatamente a metáfora do título. Mais introspectivo e repleto de significados, o álbum tem características autobiográficas de Sammet.


Rechaçado pelos mais puristas, o álbum inclui as cantantes Lost in Space e Cry Just a Little, com influência dos 80 e com até mesmo um coral no meio. As participações, no entanto, constituem um dos pontos altos do álbum, como Alice Cooper em The Toy Master. Na faixa-título, Jorn Lande simplesmente arrepia como o demônio que tenta arrastar o protagonista para o seu lado sombrio, em uma espécie de releitura de Fausto. Fantástico. No fim você fica: “Tobias quem??”. A parceria com Lande fez tanto sucesso que ele continuou cantando em diversas músicas nos álbuns seguintes.



O quarto e o quinto álbum do projeto foram lançados simultaneamente em 2010, The Wicked Symphony e Angel of Babylon respectivamente. Nestes as participações continuam como na belíssima faixa Dying for a Angel, na qual Sammet divide o vocal com Klaus Meine. Ambos os discos completam a saga iniciada em The Scarecrow.





O Avantasia já passou pelo Brasil em turnê em 2008 e 2010, e lançou o DVD The Flying Opera em 2011. Agora é esperar que eles arranjem um tempo de seus outros projetos para fazer uma nova turnê e venham parar mais uma vez em terras tupiniquins. Enquanto isso você está aí, ouvindo Michel Teló e Gustavo Lima, não é? Toma vergonha na cara, cresce e vai ouvir música de verdade! Vai ouvir Avantasia!



0 comentários:

Postar um comentário