4 de abr de 2013

Era uma vez: Garota Exemplar

Posted by Aline Guevara On 16:24 0 comentários


No que você está pensando? Como está se sentindo? Quem é você? O que fizemos um ao outro? O que iremos fazer?
[p. 11]


Essas são perguntas frequentes que permeiam a mente de Nick em relação a Amy, mesmo após cinco anos de casamento. Cinco anos, bodas de madeira, como a esposa não o deixaria esquecer. Afinal, a tradicional caça ao tesouro de Amy (para o horror de Nick) não poderia faltar em mais um aniversário da união dos dois. Mas neste 5º ano a "brincadeira" será deixada de lado, pois ao que tudo indica a moça foi violentamente tirada de sua casa e está desaparecida.

Garota Exemplar (Editora Intríseca, 448 páginas), terceiro romance da jornalista norte-americana Gyllian Flynn, está dando o que falar. O livro foi a primeira publicação a tirar Cinquenta Tons de Cinza do topo da lista dos mais vendidos do New York Times. O grande escritor de suspense Stephen King já se declarou fã da colega escritora. O sucesso foi tanto que os direitos de adaptação para o cinema do romance já estão vendidos.

Ainda não dá para ter certeza se o suspense repetirá o mesmo sucesso por aqui, mas com apenas 4 semanas de seu lançamento no Brasil, o livro já figura na 6ª posição na lista dos mais vendidos segundo a revista Veja.


Amy Elliot Dunne é literalmente a "Garota Exemplar". Linda, espiritusosa e muito inteligente, sua vida serviu de inspiração para os seus pais criarem a série de livros juvenis Amy Exemplar, sobre uma garota perfeita seguindo caminhos perfeitamente traçados, que influenciou toda uma geração de leitores. E qual não é o choque desse público quando os jornais noticiam o desaparecimento daquela que inspirou a heroína de sua infância. Pior, as evidências indicam que Amy pode ter sido assassinada. Como se não bastasse, o marido Nick se comporta de forma muito estranha ao crime, incrivelmente calmo e controlado. Isso até começarem a surgir diversos indícios de que ele pode ter sido o responsável pelo destino da esposa.

O livro é narrado intercalando capítulos de Nick, contados em primeira pessoa a partir do dia do sumiço da esposa, com outros de Amy, trechos de seu diário a partir de seu primeiro encontro com Nick há sete anos. Enquanto a garota fala sobre o seu relacionamento dos sonhos nos primeiros relatos, ele se amargura de como o casamento se tornou insuportável nos últimos anos. Conforme a  leitura avança, percebemos que ao invés das duas narrativas chegarem a uma concordância, elas se distanciam. Uma coisa é certa, a verdade por trás deste casal é bem sombria. 

Na primeira parte do livro, que tem três divisões claras, você realmente não sabe em quem acreditar. As insinuações dúbias ao longo das narrativas, especialmente de Nick, nos fazem desconfiar dos personagens (Obs: Mas em uma narrativa em primeira pessoa, SEMPRE devemos desconfiar do narrador! Lição aprendida com Machado de Assis e Agatha Christie.). Em determinado momento já percebemos que as histórias de Amy e Nick conflitam demais. Alguém está mentindo. Mas mais do que descobrir quem está certo e quem está errado, o livro se envereda nos porquês dessa discrepante história do casal.

Gillian Flynn é uma ótima escritora, sabe usar as palavras não só para dar suporte a construção de seus problemáticos e complexos protagonistas, mas também brinca com elas para relacionar os capítulos de Amy aos de Nick. Além disso, permite que a partir de situações sutis façamos nossa  própria interpretação dos personagens.

Com uma narrativa divertida, inteligente, envolvente, repleta de reviravoltas interessantes e com um final corajoso e criativo, Garota Exemplar merece o seu lugar entre os livros mais vendidos, fornecendo um alívio para quem está cansado de ver tons de qualquer coisa e seus variáveis figurando nestas listas. E com o seu primeiro best-seller chegando às lojas brasileiras, fica aqui a torcida para que as outras duas publicações de Gillian, Dark Places e Sharp Objects, também venham logo para o Brasil.


0 comentários:

Postar um comentário