10 de dez de 2012

Perdidos no Espaço da TV: Revenge - Final da Midseason

Posted by Thaís Colacino On 22:59 0 comentários


Ashley, Aiden, Daniel e Emily: velhos amores, novas vinganças

A segunda temporada de Revenge começou com um novo foco para a vingança de Emily: Victoria e as provas contra a família Grayson estavam em um avião que explodiu e ela descobriu que sua mãe poderia ainda estar viva. Como os roteiristas devem ter percebido, se Emily acabasse com uma pessoa por episódio a série não ia durar muito, por isso colocaram um novo objetivo: além de acabar com os Grayson, agora ela está contra a Iniciativa, que encomendou o ataque pelo qual o pai dela foi culpado.




Na nova temporada somos apresentados à Aiden Mathis, parceiro de Emily como pupilo de Tanaka e em busca da própria vingança, enviado para ajudá-la a não se distanciar do objetivo (não que Emily o queira por perto). Eles têm uma história juntos e parecem treinados para serem agentes secretos, sabendo desde artes marciais até o básico de informática para hackear, além de instalar câmeras em todos os lugares para conseguir provas contra alguém. E por se tratar de uma série/novela mexicana, tais provas muitas vezes parecem convenientes demais, como no último episódio.


As histórias paralelas são, como na primeira temporada, um tanto enfadonhas e passáveis. Por mais que os Porter sejam adoráveis, é completamente implausível como Declan simplesmente conheceu um cara em um segundo e no outro já estava roubando com ele, para garantir o futuro. Os irmãos parecem ser os únicos com boa índole da série e sempre se dão mal, com outros dois irmãos buscando vingança pelo pai corrupto morto. Imagino que na última temporada ganhem na loteria e mudem para a mansão dos Grayson para compensar.





Enquanto isso, na história principal, a mãe de Emily nem deu tanto o que falar. É psicótica, perigosa, completamente alienada e manipulável, já que casou com o homem que matou o antigo esposo e se divorciou porque a amante do marido disse que este era um terrorista.








O melhor desenvolvimento de personagem fica por conta de Daniel Grayson, cada vez mais parecido com a mãe, chegando até a se isolar da família, amigos e namorada pelo poder e por achar que estes querem passá-lo para trás. Já um dos melhores episódios foi o de Ação de Graças retroativo, mostrando como a personalidade de Victoria foi criada e como ela não tem misericórdia nem com a própria mãe, que tão mal fez à ela.

Com idas e vindas na vingança, afinal os Grayson estão no jogo há muito mais tempo e têm experiência em sair por cima, até agora a segunda temporada de Revenge revitisou alguns vingados, proporcionando uma troca de atitudes ou simplesmente acabando de vez com um deles. E outro descobriu de fato quem é Emily e, claro, pagou caro por isso.


A história começa a ficar mais diluída e tenta migrar para a destruição da Iniciativa, que não disse bem ao que veio, fora fazer ameaças. Já Emily parece ter esquecido que tinha backup das provas contra os Grayson porque Victoria não irá mais depor contra Conrad. E quem se ferra com toda essa vingança é Nolan, cada vez mais acuado por se relacionar com a filha de David Clarke, perdendo até a empresa por isso, mas dando a entender que tem um plano na manga. Esperemos que sim.

A série pode não ter deixado os espectadores na beirada das cadeiras, mas os personagens apaixonantes, as situações loucas e reviravoltas vão garantir uma boa audiência, além da pouca curiosidade de sabermos o que o "inimigo" quer. A probabilidade de outro final "bombástico" (literalmente) é alta.

0 comentários:

Postar um comentário