14 de jun de 2012

Era uma vez: Os Instrumentos Mortais - Cidade dos Ossos

Posted by Thaís Colacino On 13:03 0 comentários



Clary Fray é uma adolescente nova-iorquina que tem grande talento para desenhar, gosta um pouco de ficção científica e vê coisas que as pessoas normais não veem, como um garoto de cabelos verdes sendo assassinado por três outros adolescentes em uma boate chamada Pandemônio. Ela não pode nem avisar a polícia, afinal, só ela vê os três assassinos e o garoto morto, que transforma-se em algo não humano...

É assim que começa Cidade dos Ossos, primeiro livro da série Os Instrumentos Mortais. Após testemunhar o ato, Clary instiga a curiosidade de um dos "assassinos", o arrogante e intrigante Jace Wayland, que tenta investigá-la. Enquanto isso, a mãe de Clary é sequestrada, e os dois tem que cooperar, tanto para descobrir o que Clary é, por que tem a "Visão" e por que um demônio a atacou,  quem sequestrou a mãe dela e o que esta guardava de tão importante.




Lily Collins será Clary na versão cinematográfica
O primeiro livro tem linguagem agradável, colocando a quantidade exata de detalhes e explorando principalmente os diálogos. Os elementos fantásticos e mitologia criados são muito bem vindos e interessantes: os Caçadores de Sombras, que caçam demônios ou membros do Submundo que quebram as regras da Clave; a explicação por trás de cada ser fantástico e mesmo dos Caçadores, ou os Nephilim, como são conhecidos; os Irmãos do Silêncio e a tal Cidade dos Ossos; as marcas angelicais que os Caçadores fazem nos próprios corpos para poder lutar... A autora Cassandra Clare utiliza a curiosidade e falta de conhecimento de Clary para apresentar o mundo escondido aos leitores, e o faz particularmente bem.

Entretanto, a história, apesar de vários elementos interessantes, é óbvia. Cassandra leva os leitores por uma linha de raciocínio não clara, na tentativa de que a descoberta de certo fato pareça chocante e inesperado, mas todas as pistas que levam para tal situação soam como plantadas para desviar a atenção do "real choque", que é para acontecer em outros livros. No entanto, este não acontece justamente porque quem já leu outras obras, espirituosamente citadas no próprio livro (Star Wars, Angel Sanctuary), sabe de antemão o que vai acontecer. Não que isso desmereça a série, mas tira um pouco da excitação com a história. (Já adianto que abordaremos os outros livros nas próximas semanas e eles são melhores).

Jamie Campbell será Jace



Apesar da falha na história, o universo e os personagens compensam. Cassandra soube trabalhar não somente a protagonista, mas também os coadjuvantes, que são até mais amáveis que Clary. É muito difícil não se identificar com Simon, melhor amigo de Clary, ou não gostar de Jace. Até os triângulos amorosos da série são plausíveis, e o principal deles tem uma ótima explicação. Mas essa só é dada em outro livro.




Cassandra Clare nasceu no Irã, é filha de norte-americanos e passou a vida em várias cidades do mundo. É bem conhecida pela fanfic do universo de Harry Potter, Draco Dormiens, que virou uma trilogia. Ela trabalhou em diversos tabloides até conseguir ser uma escritora em tempo integral. Além da série Instrumentos Mortais (que atualmente tem seis livros programados), também escreve a série As Peças Infernais, outra trilogia, no mesmo universo da de Instrumentos, mas que se passa na era vitoriana. O primeiro livro, O Anjo Mecânico, já foi lançada no Brasil.

A série "Instrumentos" já conta com quatro livros lançados nos EUA. O quarto livro, Cidade dos Anjos Caídos, será lançado este ano no Brasil. Assim como todo best-seller adolescente, um filme já está sendo produzido, com previsão de estreia para ano que vem, com uma Lily Collins ruiva (Espelho, Espelho Meu, Padre) como Clary e Jamie Campbell Bower (Harry Potter, Crepúsculo [e mais uma série de livros na filmografia!], Camelot, Sweeney Todd) como Jace.

0 comentários:

Postar um comentário