29 de mai de 2012

Das Prateleiras: Onde vivem os monstros

Posted by Janaína do Amaral On 21:15 1 comentários




"Onde vivem os monstros", dirigido por Spike Jonze, pode ser definido por vários adjetivos, mas se tivesse que escolher apenas um seria: intenso. Apesar da carga dramática, é calmo e delicioso. Trata-se de uma adaptação do livro "Where the Wild Things Are", de Maurice Sendak, criador também do desenho "Os Sete Monstrinhos", exibido pela TV Cultura.

A solidão, presente na vida de diversas crianças e adultos, é tratada como tema principal e são apresentados temas relacionados, como o amor, amizade, família e relacionamento. Dentro do filme é trabalhado, pelo visual fantástico e o enredo, o contraste entre a solidão e o amor. Max (Max Records) nos leva por uma viagem em sua imaginação, uma aventura dentro de sua cabeça.

O garoto é deixado em segundo plano por várias pessoas, como a irmã e a mãe. Sem a atenção de qualquer amigo e carente pela perda do pai, Max cria um mundo imaginário, uma  válvula de escape. Depois de uma briga com a mãe, o menino foge sem rumo e encontra refúgio na ilha criada pelo subconsciente.

Nessa ilha vivem vários monstros gigantes, com corações tão grandes quanto eles. Todos têm personalidades muito marcantes, assim como Max. Percebe-se que cada um deles representa um tipo diferente de criança, KW por exemplo, lembra a irmã do garoto. Carol (voz de James Gandolfini) é uma versão monstro do garoto, mimado e inseguro e passando por situações difíceis. As criaturas não são muitos complexas, passam o dia pulando, brincando, quebrando coisas e cavando buracos em árvores.

A história segue com diálogos cheios de significado, com elementos para nos ajudar a enfrentar os monstros que habitam dentro de nós. O roteiro é bastante melancólico e o visual, principalmente dos monstros, lembra muito filmes de antigamente como "História Sem Fim". Pelo conteúdo e nostalgia, o filme tem vários fatores para agradar aos adultos.

Karen O. é a responsável pela fantástica trilha sonora, que combinada ao visual do filme, funciona como uma obra de arte, como um  quadro vivo. Cores opacas, belos cenários e sentimentos: essa é a combinação encontrada em "Onde vivem os Monstros".

A subjetividade do filme o prejudica um pouco, pode parecer arrastado, sem clímax. Um elemento mais impactante talvez para emocionar o espectador, mas não deixa de ser uma experiência ímpar. Uma espécie de catarse e discussão sobre as relações pessoais. Tristeza, solidão, ternura, felicidade e amor, são os elementos que regem o filme. Que nos mostra que dentro de nós é onde vivem os monstros.

Onde vivem os monstros
Ano: 2009
Direção: Spike Jonze
País: EUA




1 comentários:

...inspirou-me, vou assistir...

Postar um comentário