25 de out de 2012

Era uma vez: Supernatural - O Diário de John Winchester

Posted by Aline Guevara On 14:32 1 comentários


Na série Supernatural os irmãos Winchester têm um extenso arsenal para combater as criaturas sobrenaturais que eles caçam. Mas além das armas eles têm um outro instrumento poderoso que foi de extrema importância durante os anos de caçada: o diário de seu pai. Contendo informações cruciais sobre monstros, o caderno foi uma das principais heranças que John Winchester deixou aos filhos do lado do Chevy Impala 67.

Nas temporadas recentes do seriado o diário perdeu sua importância, mas quem é fã de Supernatural de longa data sabe o quanto os escritos de John Winchester foram importantes para Sam e Dean. E é pensando nesses fãs que a produção da série aprovou a reprodução do diário feita pelo escritor Alex Irvine, dando origem ao livro Supernatural – O Diário de John Winchester (Editora Gryphus, 218 páginas).

O livro/diário começa duas semanas após a morte de Mary Winchester, mãe dos irmãos e esposa de John, quando ele decide que escrever um diário pode ser uma boa forma de entender a loucura que se instalou em sua vida. Logo se vê envolvido com caçadores de monstros e em pouco tempo já é um deles. Com os filhos pequenos a tiracolo. 

Um problema do livro é a confusão dos primeiros textos do diário. É compreensível que o autor estivesse confuso inicialmente com todo o ocorrido desde a morte da esposa, mas para quem está lendo é quase impossível entender o que está acontecendo com John. Uma sucessão de nomes jorram pelas páginas e caso o leitor não lembre quem são Missouri, Ellen, Jo e Bobby pelo seriado, vai ficar tão alheio a esses personagens quanto ao tal "H" que aparece e desaparece repentinamente e outros tantos nomes de amigos do caçador. 

Ou seja, este é um livro para os fãs de Supernatural. Mesmo quem tem interesse em lendas sobrenaturais, folclore e rituais pode ficar entediado lendo, uma vez que não há uma continuidade nos escritos. O diário é realmente uma colagem de retalhos do que John Winchester foi descobrindo ao longo dos anos sobre criaturas fantásticas e se há pesquisas mais extensas sobre algumas delas, como o ritual de exorcismo de demônios completo em latim, sobre outras há apenas uma menção. Dá para entender porque Dean e Sam nunca conseguiam muitas informações somente com o diário.

Dean consultando o diário em cena de Supernatural
Conforme o livro vai avançando, no entanto, as situações ficam mais claras. As lendas e as criaturas são citadas com mais frequência, com um conteúdo mais claro, e a confusão inicial dá lugar ao esclarecimento sobre esse mundo sobrenatural visto pelos olhos de John.

No entanto, mais interessante do que descobrir as lendas dos monstros caçados pelos Winchester, é o relato pessoal de John. A narração de suas dores e incertezas em relação ao caminho que segue, arrastando os filhos para esse mundo sobrenatural perigoso, é tocante. Ainda temos a oportunidade de acompanhar mais momentos de Sam e Dean jovens e relembrar outros, como quando Sam, aos 9 anos, recebe uma arma calibre 45 quando diz ao pai que está com medo de algo escondido em seu armário.

A edição é charmosa. Conta com uma capa dura e as páginas internas não só reproduzem o conteúdo dos escritos de John, como também os desenhos de símbolos e de criaturas, as colagens de jornais e textos anotados "a mão" pelo autor.

Para quem é fã de Supernatural e sempre teve curiosidade em saber o que tinha no diário de John Winchester, o livro vale a pena.

1 comentários:

CARACA... PRECISOOOOO de um desse!

Postar um comentário