25 de set de 2012

Das Prateleiras: Coraline e o Mundo Secreto

Posted by Natália Lins On 13:31 0 comentários




Por Ana Carolina Bagarolo

Assim como qualquer criança travessa que não perde sequer uma oportunidade de conhecer, fuçar e explorar coisas novas, Coraline é uma garota que articula suas peripécias a fim de investigar o velho casarão rosa que acabou de se mudar com seus pais. 
E como todo velho e bom casarão onde não há muito que fazer, uma casa nesse estado não é o local ideal para uma criança que busca por aventuras e diversão. Um lugar totalmente parado, onde nada acontece e com pais que não lhe dão atenção por estarem envoltos com seus trabalhos, Coraline encontra em sua vizinhança excêntrica algo com que se distrair.
Entre as figuras, ela conhece as irmãs Spink e Forcible, velhas artistas que enxergam o futuro nas folhas de chá e dividem parte da mansão com três cachorrinhos, além do senhor Bobinsky, que treinava camundongos para um possível espetáculo. A menina também conhece Wybie Lovat, um garoto tímido que se torna companheiro de aventuras e um gato preto. Já deu para perceber que os vizinhos da garota não eram muito normais, né?!
O mesmo vizinho que treinava camundongos presenteou Coraline com uma boneca muito semelhante à menina, feita de pano e linha. Após esse presente que parecia simples, algo grandioso acontece: a parede da sala de sua casa que antes não se passava de tijolos agora tinha uma passagem e ao passar pela porta, como que por mágica, surge à frente de seus olhos um mundo secreto. Lá ela encontra sua casa. Não, não sua verdadeira casa, mas uma muito parecida, só que desta vez com cores mais vivas, e até seus pais pareciam mais belos, mais divertidos e atenciosos.

Em meio à euforia de estar vivendo algo novo e envolvente, a garota nota um detalhe que quase passara despercebido: seus pais tinham olhos de botões. Aliás, todos ao seu redor nesse mundo tinham olhos de botões.
Tudo muito bom, tudo muito bem, mas o longa-metragem Coraline e o Mundo Secreto, feito em stop motion e inspirado pelo livro de Neil Gaiman, Coraline, não poderia deixar de ter certo terror. Do mesmo diretor de O Estranho Mundo de Jack, o grande Henry Selick que abusou nos cenários macabros e escuros, com uma iluminação e suspenses característicos do diretor.

O que antes era interessante se tornou enjoativo. Coraline sentia saudades de sua vida com seus pais verdadeiros, então decide voltar. Isso fez com que a Outra Mãe lhe oferecesse chances de ficar, sem preocupações e tendo tudo que sempre quis. Embora a proposta tenha sido tentadora a menina logo soube que só ficaria no "bem bom" se deixasse a Outra Mãe costurar botões no lugar de seus olhos. Com essa condição, ela firma ainda mais a ideia de voltar para seus verdadeiros pais, irritando a Outra Mãe, que transforma-se de uma figura doce e bela em uma mulher cruel e medonha.
Coraline e o Mundo Secreto, nos faz lembrar outro filme, também do universo fantástico, Alice no País das Maravilhas, onde ela também vai para uma outra realidade mágica, onde coisas boas e não tão boas, acontecem.


0 comentários:

Postar um comentário