25 de jun de 2012

Perdidos no Espaço da TV: Smash - final de temporada

Posted by Aline Guevara On 07:00 0 comentários



Com um primeiro episódio arrebatador que levou crítica e público a reverenciarem a série, Smash fechou muito bem sua primeira temporada, ainda que tenha se mantido inconstante, cometendo muitos deslizes ao longo de sua exibição.

Antes de mais nada é bom lembrar que apesar de Smash ser uma série musical, ela vai por uma linha completamente diferente de Glee. As semelhanças entre as duas acaba no gênero que as define, afinal, enquanto Glee retrata adolescentes no ensino médio, a outra é uma trama adulta com personagens maduros. Além disso, apesar de vermos os personagens cantando músicas pop, como a belíssima interpretação de Katherine McPhee de "Beautiful" de Christina Aguilera, o clima de Broadway de Smash é muito mais intenso, por questões óbvias.

Quem merece ser Marilyn: Karen ou Ivy?
A série tem uma premissa bastante interessante: acompanhar o nascimento e desenvolvimento de um espetáculo musical inspirado na vida de Marilyn Monroe. Acompanhamos a rivalidade entre Karen (McPhee) e Ivy (Megan Hilty) lutando para conseguir o papel principal ao longo de toda a temporada. E o que é mais interessante, em cada uma das várias personagens de Smash percebemos um pedaço da espetacular e trágica estrela de Hollywood.

Karen tem a ingenuidade e doçura da atriz, além de uma certa luz própria que causa inveja em todas as suas concorrentes. Ivy representa toda a sensualidade, mas também a fragilidade e a insegurança da estrela, e todos os problemas que decorreram dessas características, como o uso de drogas. Julia (Debra Messing) é a artista sensível que não consegue deixar que o trabalho interfira em sua vida familiar, enquanto Eileen (Angelica Houston) é forte e decidida. Cada uma Marilyn com seu próprio jeito.

O elenco da série é afiado: Debra Messing, Angelica Houston, Jack Davenport (Piratas do Caribe), além dos atores de musicais da Broadway Megan Hilty e Christian Borle, e também Katherine McPhee, que ficou em segundo lugar na competição de canto American Idol e provocou uma sensação entre os fãs do programa.

(Spoilers da temporada)

Derek fantasiando com Karen como Marilyn
Smash inicia com os roteiristas Tom (Borle) e Julia tendo a ideia do espetáculo e já compondo músicas para ele. O projeto ganha força com a entrada de Eileen, uma produtora reconhecida no mercado, que convoca o famoso diretor Derek Wills (Davenport) para estar a frente do show. Canalha de marca maior, Derek ainda consegue ser um sujeito de quem gostamos e para quem torcemos. Ele acaba tão envolvido com o musical que este influencia cada relacionamento que tem futuramente. Ele só se envolve com Ivy após ficar fascinado com a garota interpretando Marilyn e a mesma coisa ocorre com Rebecca (Uma Thurman). Com Karen a situação não é diferente e toda vez que fantasia com a garota, ela está caracterizada com a peruca loira e deixa fluir a voz suave.

Infelizmente a qualidade não se mantém em todos os quinze episódios da primeira temporada. Na tentativa de ganhar mais tempo na história quem-vai-ficar-com-Marilyn, os roteiristas acabam se atrapalhando ao inserir subtramas chatas ou que não levam a lugar algum (alguém lembra da audição da Karen para um produtor musical super famoso?). Na primeira categoria, não tem como não encaixar a historinha sem graça da traição de Julia. Não sei se em algum momento imaginaram que Michael (Will Chase) e Julia iriam receber alguma torcida ou que o público iria achar que o casal era muito “corajoso” por deixar suas famílias de lado para viver uma grande paixão, mas o problema maior do drama é que ele se arrastou por quase toda a temporada e matou qualquer chance de nos afeiçoarmos mais aos dois. Não vou nem falar da bela história da adoção que foi atirada de lado tão logo começou o adultério.

Uma Thurman como Marilyn Monroe
A entrada de Uma Thurman, ao contrário do que se poderia imaginar, também não ajuda a série. Se inicialmente foi interessante ver como Tom, Julia, Derek e Eileen faziam contorcionismos para adequar o musical a parca habilidade da personagem em cantar, também foi terrível ver a produção se tornando medíocre. Por mais que eu não goste de Ellis (Jaime Cepero), preciso concordar com a alegação dele para Eileen: o musical sempre seria um problema com uma atriz que não faz bem nenhum dos números.

Em "Bombshell", episódio que fecha a temporada, temos a resolução de muitas das subtramas de forma eficiente e o foco naquilo que realmente interessa: o espetáculo e qual das garotas será Marilyn. Se Ivy se deu bem na maior parte da temporada, este final serviu para coroar Karen, a mocinha inexperiente que veio do interior mostrar seu talento na cidade grande. Não deixa de ser clichê, mas confesso que fiquei satisfeita de não ver a loira conseguir o papel jogando sujo. E assim como Derek, também acredito que a morena tem um quê de estrela que Ivy não tem.

Ivy arrasa cantando "Wolf" ao lado de Nick Jonas,
em participação especial na série
História a parte, os números musicais criados para Bombshell, o título do espetáculo, são maravilhosos. Desde a emocionante “Let me be  your star”, as lindas “History is made at night” e "Never give all the heart", as divertidas “The 20 Century Fox mambo”, “Let be bad” e “Wolf”, além da incrível "Don't forget me", que encerra o show de forma brilhante.

Fica a dúvida em como vão conduzir a segunda temporada, afinal, ainda que falte muito chão para alcançar a Broadway, o show está completo e as músicas estão prontas. A não ser que o espetáculo sofra muitas modificações até chegar à Broadway,  Alguns personagens já foram cortados do próximo ano da série e não continuarão como regulares, como Dev (Raza Jaffrey), Ellis, Michael (ALELUIA!) e Jerry (Michael Christopher). Provavelmente Karen encontrará dificuldade em manter a papel de Marilyn nas mãos e com certeza é questão de tempo até ela se envolver com Derek depois de todo o clima entre os dois. Apesar de todo o final dramático de Ivy derramando o vidro de comprimidos na mão, não creio na tentativa de suicídio da moça, que é uma das melhores personagens da série e merece continuar lutando para se tornar uma estrela. Afinal, no mundo do entretenimento vale tudo e muita coisa pode mudar.

Karen ganha o papel e é ovacionada ao final da apresentação



0 comentários:

Postar um comentário